Melissa

Pesquisar

Opções do Menu

Idioma

BR

Conteúdo

Chamamos três mulheres incríveis pra celebrar o Dia das Mães. E todas elas confirmam: Moms wanna have fun.

A campanha que homenageia o dia 12 de maio abre espaço pra um chat com as super-heroínas do nosso dia a dia. Mães que também são filhas, profissionais e mulheres.


Mãe de menino, mãe de menina. Mãe que é modelo, mãe que é maquiadora, que é produtora de moda. Mãe que é advogada. Mãe.



"'Mãe' é uma palavra forte, construída aos poucos."
– Geraldine Tonolli, mãe e advogada

É Geraldine, mas pode chamar de Gera.


A mulher, advogada, filha e mãe conta que todos esses "eus" se encontram no amor. "Todas essas partes me fazem completa, sem uma não existiria a outra."


A Gera é a mãe do Santiago e tem certeza de que o som mais bonito que ela poderia ouvir aconteceu no momento em que ele falou "mãe" pela primeira vez. Palavra forte, construída aos poucos e, como ela mesma fala, não tem como cansar.


Com o olhar atento, muito bom humor e carinho, a Gera vivenciou inúmeras descobertas se tornando mãe. Uma delas foi que antes da maternidade, a maioria das mulheres visualiza ser uma mãe perfeita – e que, depois, se percebe que as imperfeições as tornam perfeitas pros seus filhos.


"Eles demonstram gratidão em todos os nossos atos de imperfeição."


Ser mãe é também um exercício diário de trazer leveza em meio aos desafios da vida corrida. Pra Geraldine, a inocência de uma criança já é o suficiente pra lembrar que nada é tão importante quanto voltar a sua atenção pro seu filho e se divertir a cada minuto – afinal de contas, moms wanna have fun.


Sobre diversão, aliás, ela vai direto ao ponto:


"Viver intensamente, aproveitar cada fase, cada segundo. Fazer da maternidade algo leve – e quando for pesado, que se saiba rir de si mesma, que seja de verdade, que seja."


"Crianças não cobram, só amam, agradecem e sorriem. Se enxergarmos isso com clareza, os momentos com e sem eles são aproveitados com muito mais intensidade."

"Sou mãe, sim, mas sou mulher também." 
– Jennifer Alves, mãe, modelo e promotora de eventos

Várias em uma só, ela toma conta do seu próprio negócio. É modelo-manequim, promotora de eventos, mãe, filha e mulher – tudo ao mesmo tempo.


Pra Jenni, muita coisa mudou depois da maternidade. "De menina frágil a mãe leoa. Ganhei uma força maior, como um superpoder", ela conta.


Sendo mãe da Mynne, uma pré-adolescente, a Jennifer ganhou também uma grande amiga. As duas conversam sobre tudo e uma quer ser como a outra.


"Ela me vê como uma super mulher, bonita e bem sucedida. Quer ser igual a mim. E escutar isso só me faz ser melhor a cada dia."


Além da admiração mútua, as duas parceiras se apoiam pra enfrentar os desafios do dia a dia com sorriso no rosto e leveza no trato. Afinal, não é fácil ser tanto em tão pouco tempo.


Essa mulher que é seis em uma nos conta que tá sempre tentando mostrar que o mundo real não é tão simples quanto parece, mas que quando se entrega pensamentos bons, as coisas boas te acompanham por aí.


"É incrível conseguir harmonizar todas as mulheres que existem em mim."
– Cristiana Oliveira, mãe, maquiadora e produtora de moda

Ser mãe da Maria, filha, mulher, maquiadora e produtora de moda não é simples. É ser Cris.


A Cristiana diz que encontra todas essas versões dela quando tá em casa cozinhando e conversando com a filha, mas ao mesmo tempo pensando em ligar pra própria mãe. "São todas a mesma Cris" – inclusive a Cris do passado, que se via como uma menina, e a Cris de hoje, que carrega o aprendizado de nunca julgar uma mãe.


Antes da maternidade, era difícil se reconhecer como mulher. Já hoje, decidiu aflorar todas as virtudes pra conseguir ser um ótimo exemplo de mulher pra Maria e se transformar na sua melhor versão.


"Em qualquer situação ela me olha e fala: "Ah, não tem problema, né mãe? Você consegue." – Essa maneira dela me enxergar como uma mulher maravilha me dá força pra realmente ser uma."


E ser uma mulher maravilha é saber que as mães merecem e precisam se divertir.


"Existe uma mulher cheia de vida antes da mãe. Precisamos respeitar a individualidade de cada mãe e parar de associá-las apenas aos filhos."


Mulher não nasce mãe, muito menos a mãe perfeita. Mas se recria quando se descobre com o superpoder da maternidade.


E se não fossem elas, o mundo seria um lugar muito menos aconchegante, cheio de amor e força.


Trending Topics

Shop

  • Ops! Não encontramos resultados para a sua busca

Onde encontrar

  • Ops! Não encontramos resultados para a sua busca

Representantes

  • Ops! Não encontramos resultados para a sua busca

Feed

  • Ops! Não encontramos resultados para a sua busca

E também

  • Ops! Não encontramos resultados para a sua busca